Retrospectiva 2017

Retrospectiva 2017

Por Heverton Soares
Líder Coach Gestão

Boa noite! Venho através desse artigo expressar minha gratidão a todos vocês que ainda continuam frequentando meu humilde blog. O ano de 2017 não foi bom para mim, assim como no ano anterior (2016). Infelizmente tive muitas perdas que me fizeram tropeçar e abaixar a cabeça, perdoem-me por isso.

Esse ano eu finalmente revelei as minhas origens e com isso muitos leitores antigos que comentam e participavam continuamente, simplesmente se afastaram como se eu tivesse uma doença contagiosa letal. Foi bom que eu realmente sei que as pessoas que não caminhavam realmente ao meu lado, mas, estavam apenas fazendo “turismo” no meu trabalho, decidiram tomar outro rumo, obrigado! Fico feliz em saber que todos os leitores que restaram são fieis e dignos do meu respeito e consideração.

Não vou fazer promessas para 2018, tudo que eu posso fazer é dizer que sempre que o Senhor permitir estarei escrevendo e compartilhando com o meu público o meu melhor e que continuarei perseverando enquanto Deus me permitir e vocês me aceitarem como escritor.

Deixo os meus mais sinceros votos a todos vocês. Que Jesus Cristo derrame sobre cada um de vocês uma chuva de bênçãos e opere inúmeros milagres na vida de todos vocês.

Feliz Ano Novo! Boas Festas! Fiquem com Deus!

logo

Anúncios
por lidercoachgestao Postado em Carreira

Porque o currículo está perdendo o seu Valor?

Porque o currículo está perdendo o seu Valor

Por Heverton Soares
Líder Coach Gestão

Acredito que todos sabem o que é um currículo e qual é a sua função ou pelo menos era para alguém que desejava ingressar no mercado de trabalho ou mudar de emprego, entretanto, essa simples ferramenta está perdendo totalmente o seu valor.

Antigamente a forma mais fácil, prática e eficaz de se arrumar um emprego era preenchendo um currículo, deixando-o em uma empresa e esperar um telefonema para fazer a entrevista, mas, agora a situação está ficando cada vez mais complicada. Como se não bastasse a crise que o nosso país está vivendo as nossas habilidades e competências não são mais suficientes para nos conduzirem para um bom emprego, tudo porque o currículo pelo qual nós conhecemos que era o caminho mais curto entre empresa e candidatos está sendo substituído por uma coisa chamada Indicação.

É provável que muitos de vocês já tenham percebido que muitas organizações hoje não estão ligando para qualquer um que deixa o seu currículo na recepção, mas apenas para aqueles que foram indicados por alguém que já trabalha para ela ou uma pessoa de sua confiança. O que você acha disso? Preconceito? Discriminação? Bajulação? Você pode escolher a palavra e dar o significado que desejar, mas não poderá mudar os fatos.

Eu compreendo o porque das empresas contratantes hoje estarem valorizando mais uma indicação, ou seja, um antigo e mais prático meio de comunicação; o boca a boca. É bem mais eficaz entrevistar um candidato que tem cem por cento de chance de ser contratado, do que vários turistas que só estão de passagem pela organização. Pessoas que chegam e se apresentam de uma forma e depois de vencerem o contrato de experiência mudam completamente o seu comportamento.

A vantagem de contratar alguém por indicação é que esta pessoa já entra tendo a confiança do empregador, grandes expectativas por resultados imediatos. Isso significa que o contratado já entra com um peso enorme sobre seus ombros de não decepcionar quem o indicou e zelar por sua própria imagem, entretanto, a parte ruim é que, quando a pessoa contratada não “era” o que falaram sobre ela ou mudou repentinamente seu comportamento, torna-se complicado desligá-la depois.

O bom seria que essas empresas que só contratam por indicação, deixassem de pegar currículos de qualquer um para não iludirem ninguém com falsas esperanças de um dia trabalharem ali. O respeito pelo ser humano deve permanecer independentemente da situação.

logo

por lidercoachgestao Postado em Carreira

Porque algumas pessoas param na caminhada?

Porque algumas pessoas param na caminhada

Por Heverton Soares
Líder Coach Gestão

Todos nós fazemos planos para o nosso futuro ou dos nossos filhos, estamos sempre querendo acrescentar algo a nossa vida, entretanto, não são todos que iniciam tais planejamentos que conseguem chegar até o final, mas, porque?

Depois de muito estudo e experiência própria cheguei à conclusão que esse parar na caminhada se resume em três partes. A primeira delas é positiva chama-se:

Otimismo: Atitude para aqueles que tudo no mundo é o melhor possível, somente ver e acreditar no lado bom das coisas. Iniciamos pensando dessa forma e então fazemos o nosso planejamento e estipulamos os prazos, tudo com muita alegria, motivação, fantasias e tudo que se tem direito, um início perfeito para quem está dando o primeiro passo.

Em seguida avançamos para uma etapa muito delicada chamada;

Procrastinar: Transferir para outro dia ou deixar para depois, adiar, delongar. Isso ocorre de duas formas a primeira é o excesso de confiança ou motivação que temos no momento e julgamos que tudo vai correr exatamente como planejado, ou por ser algo simples de fazer. A segunda acontece por as coisas não estarem acontecendo da forma como desejávamos ou não estarmos conseguindo fazer alguma coisa, então deixamos para o outro dia porque acreditamos que o estresse está atrapalhando e amanhã ou depois conseguiremos realizar tal coisa por estarmos de cabeça fria.

E por último temos a Vulnerabilidade: Condição de risco que uma pessoa se encontra. É nesse estágio que as coisas ficam em cima da “balança vou conseguir de um lado e não vou conseguir do outro. O lado que abaixar primeiro certamente será o vencedor, pois, uma vez abaixado não haverá como nivelar ou abaixar o outro lado. Tudo porque a pessoa já assumiu os riscos necessários para seguir em frente ou desistir, ou seja, as consequências de cada decisão já foram cuidadosamente avaliadas.

Isso significa que a pessoa já concluiu se traçou o melhor caminho para atingir seu objetivo, possui ou não recursos para continuar ou se desistir naquele momento é o mais correto e aproveitar a experiência adquirida para recomeçar de forma mais inteligente depois.

logo

Revelando as minhas Origens…

Revelando as minhas Origens

Por Heverton Soares
Líder Coach Gestão

Venho por meio desse artigo revelar quem eu sou, em que trabalho e porquê da queda na qualidade dos meus artigos e da simplicidade da minha Fan Page.

Eu tenho 27 anos de idade e sou mineiro, a minha cidade natal não vou revelar, desculpem-me. Quando fiz 20 anos eu fiz vários cursos entre eles um de Liderança e Gestão de Pessoas, nenhum deles é técnico ou superior, desde então criei um blog para falar sobre o assunto e com isso conheci uma pessoa que foi minha mentora por 2 anos e meio. A minha realidade é bem simples eu trabalho atualmente como ajudante de pedreiro e cheguei aos 27 anos sem ter uma profissão, infelizmente.

Por circunstâncias da vida nunca tive condições de fazer um curso técnico para me aprimorar. Pouco tempo depois de criar o blog criei uma Fan Page e devido eu não ter nem mesmo um curso básico de informática não consigo fazer muita coisa legal, por isso as minhas postagens são cada vez mais simples, perdoem-me.

Eu estudo em casa, leio alguns livros, assisto vídeos na internet de vez em quando e acrescento isso a minha experiência de vida antes de escrever cada artigo publicado, também faço uma oração antes de iniciar e após terminar de escrever cada um deles. Devido nosso país está passando por uma crise a construção civil foi muito atingida e a concorrência ficou desleal por estarem sobrando profissionais, assim a remuneração despencou consideravelmente, sabemos que as contas não esperam.

Assim comecei a ter muitos problemas reais e imaginários devido à instabilidade financeira e a falta de emprego. Mesmo diante dessas circunstâncias continuei escrevendo e perseverando, mas percebi através dos contadores de compartilhamento que meus artigos não são divulgados como antes e o blog tem cada vez menos visualizações. Eu amo o que eu faço, mas, bem aqui no fundo do meu peito sempre tive medo de alguém vir querer saber mais sobre mim, e sabendo da minha simplicidade me julgar dizendo que eu não sou capaz, merecedor ou digno de escrever nada sendo um simples ajudante de pedreiro, alguém que chega em casa todos os dias sujo e fedendo.

Perdi muitas parcerias em artigos com pessoas importantes quando descobriram a minha origem. Revistas já quiseram publicar meus artigos mais quando falei em que trabalho e que eu não tenho curso superior, voltaram atrás e me apagaram.

Eu quero continuar com o Blog e a Fan Page, mas, gostaria de saber de vocês meus leitores, se vocês me consideram digno de continuar escrevendo e publicando o meu trabalho… mesmo eu sendo um simples ajudante de pedreiro. Eu ainda sou merecedor da sua confiança? Ou depois de revelar as minhas origens surgiram muitos acusadores contra mim? Deixo claro que não quero ajuda financeira, somente quero saber se realmente sou digno de continuar com meu sonho e se algum escritor deseja ter seus artigos publicados em um blog como o meu. Desde já agradeço a Deus e a todos vocês que estiveram comigo até o dia de hoje. Amém!

logo

por lidercoachgestao Postado em Carreira